Estrias na gravidez!

Primeiramente, realmente ando meio afastada do blog, pois minha filha anda me dando um baile para mamar, assim, os dias tem sido bem cansativos!

Bom, logo que descobri a gravidez, antes mesmo da barriga começar a aparecer iniciei os cuidados para evitar ao máximo as temíveis estrias!

No começo passava (abusava mesmo), de muito hidratante! Nas pernas, barriga, bumbum…

Aí quando a barriga começou a aparecer tratei de procurar um bom creme para estrias, pois como nunca curti usar óleo corporal, parti direto para um creme.

Um ótimo creme que usei durante toa a gestação é o da foto abaixo da Body Magic. Ele não é nem consistente, nada oleoso, e fica um bom tempo na pele! Ah, importante: não tem perfume!

2015/01/img_3426.jpg

Vende em farmácias, lojas de produtos para bebês e gestantes e lojas de departamentos aqui no Japão.

Para mim valeu a pena, pois graças à Deus não tive nenhuma estria! 🙂

É isso! Até a próxima! 😉

Anúncios

Os primeiros 3 meses de gestação.

Para mim, a gravidez foi muito desejada, sonhada, planejada…

Então, nos 3 primeiros meses ficava um tanto apreensiva! Tentei me cuidar ao máximo, me alimentar super bem, dormir bem e procurei me exercitar fazendo caminhadas.

Na minha segunda consulta do pré-natal conversei com a parteira do hospital.

Ela me explicou algumas coisas sobre os procedimentos do hospital, eu tirei algumas dúvidas, mas de qualquer forma ela me informou que mais para o final da gestação, teríamos mais um encontro.

Aqui no Japão, geralmente o hospital ou clínica onde você fizer o pré-natal, realizam cursos para a gestante que podem ser muito úteis e proveitosos!

No meu caso, até me senti excluída, pois a parteira simplesmente nem perguntou se eu gostaria de participar. Mesmo não entendendo muito bem o idioma, acredito que teria sido muito interessante.

Portanto, para as futuras mamães aqui no Japão, se tiverem oportunidade, aproveitem esses cursos para gestantes. Ainda mais que muitas de vocês estão aqui sem familiares por perto para auxiliar nas primeiras semanas com o bebê, quando tudo é novo, super cansativo, porém, uma delícia ver o rostinho do nosso bebê, após longas 40 semanas!

Bem, na terceira consulta do pré-natal, por volta de 16 semanas, a ecografia foi na barriga e eu finalmente consegui assistir. Minha pimpolha estava com o dedo na boca! 🙂

Aqui no Japão o médico não costuma ficar narrando tudo o que ele está vendo na ecografia, então, se você estiver acompanhada de um tradutor ou alguém que fale nihongo, pergunte tudo o que quiser, sem medo!

É isso, até a próxima!

Importância do ácido fólico para o bebê.

Logo que comecei a tentar engravidar, em uma consulta no ginecologista, a tradutora do hospital me deu a dica: você está querendo engravidar né? Está tomando ácido fólico? É bom tomar mesmo antes de engravidar. 🙂

Então ela me deu uma amostra do comprimido, e eu tratei logo de ir à farmácia comprar!

No Japão, ouvi dizer que não é muito comum os médicos falarem para as grávidas tomarem ácido fólico. Sendo que no Brasil isso é de praxe.

O médico que acompanhou o meu pré-natal, por exemplo, em nenhum momento falou para eu tomar.

Mas, como já havia lido muito sobre o assunto, tomei durante toda a gestação. Mal não iria fazer, muito pelo contrário.

O ácido fólico é uma vitamina do complexo B, encontrado em alguns vegetais de folha verde-escuras, frutas e grãos (feijões).

Se a mulher tem ácido fólico suficiente durante a gravidez, essa vitamina pode prevenir defeitos de nascença no cérebro e na coluna vertebral do bebê, como a espinha bífida, pois o ácido fólico participa na formação do tubo neural no feto.

Portanto, se você está pensando em engravidar, comece a tomar um suplemento de ácido fólico pelo menos 3 meses antes.

De acordo com uma reportagem da revista Crescer, nem sempre a gestação é programada, e isso faz com que as mulheres comecem a tomar a vitamina somente quando descobrem a gravidez. Outro estudo, da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, mostrou que, se o suplemento pudesse ser usado um ano antes ou mais, essa medida reduziria o risco de parto prematuro.

Os pesquisadores analisaram cerca de 35 mil grávidas matriculadas em um estudo para investigar síndrome de Down. Os resultados foram além do que eles imaginavam. Os dados segerem que aquelas que tomaram o suplemento de ácido fólico por um tempo maior tinham 70% menos risco de ter parto prematuro entre a 20a e 28a semana e 50% menos chance de o bebê nascer entre a 28a e a 32a. semana. Uma possível explicação é que o organismo da mulher desde os primeiros dias da gestação, e até mesmo antes de ela engravidar, influencie na duração da gravidez.

Abaixo a foto do suplemento que eu tomei durante a gestação, facilmente encontrado em farmácias.

IMG_3294.JPG

É isso ai! Então, futuras mamães, ácido fólico no corpinho!

Até a próxima! 🙂

Início do Pré-natal

Após passar menos de 1 mês no Brasil, retornamos e iniciei o meu pré-natal. Aliás, tive uma viagem um tanto traumatizante, pois enjoei muito, não conseguia comer nada… Imagina, mais de 30 horas de voo no total, sem conseguir comer direito? Mas, isso é assunto para outra hora…

Aqui no Japão, quando você vai ao ginecologista, sempre antes das consultas, é preciso coletar urina, pesar e medir a pressão. E durante o pré-natal não é diferente. Até porque na gestação é muito importante acompanhar a pressão e verificar a presença de glicose na urina.

Conselho: cuide da alimentação na gestação! Nada de excessos, o importante é uma alimentação balanceada.

Na primeira consulta estava muito ansiosa para ver meu bebê, pois enquanto estive no Brasil, me consultei com minha antiga médica, e fiz uma ecografia, estava com 8 semanas de gestação, já ouvi o coração e o bebê estava com quase todos os membros formados.

Porém, como estava de 11 semanas, a ecografia é transvaginal, então ainda não pude assistir, o médico apenas me entregou a fotinho ao final do exame, e já foi emocionante!

Neste mesmo dia já fiz exame de sangue para verificar se está tudo normal, qual o tipo sanguíneo e inclusive é feito exame de HIV.

E assim foi a primeira consulta do pré-natal, a próxima seria após 1 mês.

Até a próxima! 🙂

A descoberta da gravidez!

Tudo começou no dia 21/01/2014! Já estava atrasada há alguns dias, mas não queria criar expectativas, pois em 2013, a cada mês era aquela ansiedade, e no final a menstruação descia, para minha tristeza. Mas, como estávamos de viagem marcada para o dia 23/01 para o Brasil, precisava tirar a dúvida antes.

Comprei um teste de farmácia (igual o da foto abaixo), já com 2 unidades, pois caso fizesse alguma coisa errada, teria outro na mão.

IMG_3287.JPG

Meu marido estava trabalhando, então estava sozinha em casa. La fui eu, apreensiva fazer o teste… Esperei os minutinhos e não acreditei quando vi aquele risquinho aparecendo!

Foi muita emoção, mal podia acreditar. Chorei de emoção, pulei de alegria, agradeci a Deus. 🙂

À noite mais emoção quando contei ao meu marido. Enfim, nos tornaríamos pais.

No dia seguinte fomos ao hospital para confirmar a gravidez. Aqui no Japão, só confirmam com 6 semanas pra frente, e no meu caso estava de 6 semanas.

É uma sensação incrível ver aquela sementinha linda na ecografia.

Sai do hospital com a primeira consulta do pré-natal marcada para quando eu retornasse de viagem. E ainda, eles me entregaram um documento confirmando a gravidez e que eu deveria levar até a prefeitura de Yokkaichi, onde moro, para assim receber a caderneta com os cupons das consultas do pré-natal e a caderneta da mãe e do bebê, o Boshikenkō techō (母子健康手帳). Esses dois “livrinhos” você deve levar em todas as consultas do pré-natal, pois um é para as consultas não terem custo, e o outro é onde o médico fará as anotações do pré-natal e após o nascimento do bebê, os dados como peso, altura da criança, etc.

Normalmente você não irá gastar nada nas consultas, e se gastar será algo como ¥500. Porém, caso você precise de algum remédio ou se consultar porque está com uma infecção urinária (muito comum na gravidez), por exemplo, ai são custos a parte.

No Japão, o parto normal custa em torno de 500 mil ienes, porém, você recebe um auxílio do hoken de 420 mil, então, se no seu parto correr tudo bem, você não necessitar de nada a mais, só gastará 80 mil ienes.

Para mim, foi muita informação para um dia só, muitos formulários, papéis para ler, etc.. rsrs

Ao chegar na prefeitura eles explicam muitas coisas, entregam vários papéis, inclusive um com as vacinas que a criança irá tomar ao longo do seu crescimento, e também já informam sobre a visita que você receberá em casa, após o nascimento do bebê, chamada de “konnichiwa akachan” (こんにちは赤ちゃん).

Feito todos os procedimentos na prefeitura, você ou seu marido só precisarão retornar lá após o nascimento do bebê.

No próximo post começarei a contar sobre as consultas do pré-natal!

Até lá! 😉

Olá mamães e futuras mamães!

Criei este blog com o intuito de compartilhar minha experiência em ser mãe de primeira viagem do outro lado do mundo!

Sei que muitas mulheres, assim como eu, engravidam aqui no Japão, e com isso surgem muitas dúvidas, insegurança por estar num país onde a cultura é completamente diferente do Brasil, por estar muitas vezes longe da família, e mais, por não ter conhecimento do idioma.

Esta é a segunda vez que venho morar no Japão junto com meu marido.

Na primeira vez, ficamos apenas 1 ano e meio, e agora já estamos no 3o ano! Nós amamos morar aqui, apesar de todas as diferenças culturais. Enfim, escolhemos viver na terra do Sol nascente, assim como ter e criar nossos filhos.

Após 1 ano da nossa chegada, meu relógio biológico começou a bater: desejo e sonho de ser mãe!

Afinal, estava chegando nos 30, casada com o amor da minha vida, pra que esperar mais?!

E assim começamos a tentar… 🙂

Após tentarmos durante 1 ano, meu sonho se realizou! 😀

Aqui começa a mais linda fase da minha vida que contarei nos próximos posts.

Até lá! 😉